terça-feira, 25 de novembro de 2008

A Day Without a Gay - Um dia sem Gays


Esse texto chegou a mim pelas mãos de uma outra pessoa, pra provar que qulquer um pode influenciar na vida do Blog.

O texto foi públicado dia 25 de Novembro, pelo colunista Wálter Fanganiello Maierovitch,e extraído do site Carta Capital (www.cartacapital.com.br)

DoisPontos , abre aspas :



" O dia 10 de dezembro próximo não será dedicado apenas à indicação, em Oslo, do vencedor do Nobel da Paz. Também não se resumirá ao International Human Rights Day das Nações Unidas. Nos EUA, teremos uma Jornada sem os Gays, ou melhor, A Day Without a Gay.

Os gays, de ambos os sexos, não irão ao trabalho, às escolas e às universidades. Também não sairão em passeio pelas ruas e não partirão para o consumo nos centros comerciais. O dia será dedicado a tarefas humanitárias.

A fórmula escolhida não é nova. Há dois anos foi usada com sucesso por imigrantes. Discriminados e explorados, eles pararam um dia e a economia americana sentiu o sobressalto.

Não vejo no A Day Without a Gay um mero protesto em face dos resultados dos referendos de 4 de novembro último, onde, na Califórnia, Flórida e Arizona, a maioria foi contrária à união formal de casais gays. Mais ainda, em Arkansas, pelo referendo, venceu a corrente que não aceita a adoção de crianças por gays.

No chamado A Day Without a Gay já existem os que afirmam tratar-se de deliberação ilegítima, em razão de democráticos referendos. A deliberação não é ilegítima. Ela significa uma chamada às consciências, pela igualdade de direitos, num país que acaba de eleger um afro-americano, mas que já proibiu casamento entre casais de sexos e peles de cores diferentes.

Os referendos supracitados ocorreram junto com a votação para presidente dos EUA. E poucos meses antes, a Corte Suprema da Califórnia havia legalizado a união formal de gays.

Os líderes dos grupos de defesa dos direitos dos homossexuais tributam o resultado dos referendos à comunidade afro-americana. Segundo eles, 70% da comunidade afro-americana, --que elegeu Obama, votou com os mórmons e os católicos para derrubar a união formal entre gays."


PANO RÁPIDO.
O brasileiro que quiser dar uma força à distância, mesmo não sendo gay, é só acessar o site www.daywithoutagay.org




Grato, Azeitona!

2 comentários:

Guilherme disse...

apesar de ser levado ao lado economico, mas mostra como todos somos fluenges nessa sociedade escrota.
é uma das melhores manifestações para quebrar os conceitos, aliás pré-conceitos direitista.

pennafiel.6977 disse...

queria ver um dia sem motoboys, aí o bagulho ia pegar!