sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Intolerância necessária


Para melhorar a nossa cena, preciso colocar ênfase no quesito INTOLERÂNCIA. Sim! Intolerância contra os que fingem representar-nos, porém, não passam de pessoas que não dão a mínima para como anda a nossa cena no Brasil. Você vê pessoas baterem no peito falando que são antifascistas, mas na hora de comprovar isso, tudo vai por água abaixo. Antifascismo vai muito além de um status na subcultura, vai muito além de modismo. É questão de preservar aquilo que nos pertence, é questão de tirar essas escórias que empreguinam o nosso rolê e deturpam tudo. Só no Brasil nós vemos algo tão desorganizado, só no Brasil nós vemos essa ZONA, esse bater no peito que é antifascista, mas aceitar ter como amigos os seres mais repugnantes.
A intolerância nem sempre é um defeito, a intolerância é AÇÃO. Se nós fossemos intolerantes com tudo aquilo que acontece ao nosso redor, a todas as injustiças, se nós fossemos pessoas que não se acomodassem pensando "ah, deixa pra lá..." em qualquer situação que influa diretamente em nossas vidas, ou influa diretamente na vida dos outros, estamos sendo tolerantes não no aspecto bom, mas no aspecto burro.
Seja intolerante SIM, intolerância com NAZISTAS/CARECAS/SIMPATIZANTES e intolerância pra todas as injustiças que vivenciamos em nosso dia-a-dia, seja na rua, seja na política, seja na educação, seja em qualquer lugar. Não vou dar uma de pacifista por aqui, principalmente em relação as escórias fascistas que acham que podem tomar conta daquilo que é nosso. Não basta, é claro, a intolerância violenta, é preciso da AÇÃO DIRETA, é preciso combater e debater com aqueles que fingem não enxergar o que se passa a sua volta, fingem não ver os bostas que andam lado a lado, e inventam mil desculpas para aceitá-los junto. É não tolerarmos pessoas desse nível em nossas subculturas e fazer de tudo para combatê-las.
Os simpatizantes das escórias fascistas, são os principais influentes para que eles ainda existam. Pois o simpatizante, além de ficar em cima do muro e ter amizade com todos para ter uma certa proteção, dá corda e incentiva diretamente o cara a continuar dando o rolê de merda que dá. Os simpatizantes se igualam com esses tipos, por aceitarem falar com nazistas, homofóbicos, xenófobos e achar aquilo completamente natural. É se calar perante ao preconceito existente deles, por querer preservar sua falsidade dentro da subcultura. Os simpatizantes devem ser combatidos juntos com todas as escórias que nos rodeiam. Não me refiro somente a violência, me refiro em EVITAR. Me refiro em ignorar esses merdas, e se querem ser simpatizantes, que virem fachos de uma vez.
Conteúdo violento? Apologia a violência? Não é isso. Existem várias formas de violência, existem várias formas de provocações. Pensem nisso.


Tatá

2 comentários:

Pudding disse...

Muito bom o texto, essa é a cara mesmo. "Só com enfrentamento físico e leitura, venceremos"

Plebe disse...

Porra,Byrd!Gosto do seu texto,essa sua forma "violenta" de escrever,esse desabafo real,verdadeiro.
Seu texto é o que eu prego a 4 anos de minha vida,não aceitar de nenhuma forma esses caras,e JAMAIS ser omisso a eles,se vc se omite,vc esta concentindo com ele.
É um excelente texto pra essa comunidade!

Parabéns!